Pela Vida do Cacique Babau

Pela Demarcação do Território Tupinambá de Olivença
Hoje, somos todos Tupinambá
Nós Povos e Comunidades de Terreiro, através da Associação Nacional Cultural de Preservação do Patrimônio Bantu – ACBANTU, vem de forma contundente defender os direitos à integridade física das lideranças Tupinambá e a demarcação imediata do Território Indígena Tupinambá de Olivença, no Sul da Bahia. Não é mais aceitável, que o Cacique Babau (Rosivaldo Ferreira da Silva) e familiares continuem a ser ameaçados por milicianos do agro e hidronegócio e agentes públicos do Estado, sem que nenhuma providência seja tomada.
A ACBANTU, repudia a posição anti-indígena do governo federal, Jair Bolsonaro, que de forma esdrúxula nomeia dirigentes do Estado que deveria prestar as garantias de direitos Constitucionais, mas, ao contrário, vêm empreendendo ações que estimulam o ódio, a invasão de terras indígenas, ameaças e assassinatos de lideranças e tantas outras graves violações de direitos, como as que os Tupinambá vêm sofrendo drasticamente no Estado da Bahia.
Não aceitamos que a natureza seja entregue aos destruidores do agro e hidronegócio. Porque é a natureza nossa própria existência. Por isso, a força de resistência Tupinambá é a resistência de todos os Povos Negros, Povos e Comunidades de Terreiro que por defenderem sua Ancestralidade, sua cultura e suas terras, são brutalmente perseguidos, escravizados e assassinados.
Em tempos contemporâneos, não é possível aceitarmos tamanha injustiça. Em respeito à nossa ancestralidade que se junta a Ancestralidade dos Povos Indígenas em terras brasilis, nos solidarizamos com o Cacique Babau e todo Povo Tupinambá.
Nós hoje somos todos Tupinambá, nós hoje somos todos Babau, na defesa das matas, das águas, dos animais e de todo nosso Povo.
Por nossa Ancestralidade somos todos um na defesa da natureza da vida.
Ninguém vai se intimidar, ninguém vai se calar!
Resistência a todos os Povos da Terra!
ACBANTU
Nzaambi, Bakulu etu ye Bankisi Bwaoonso, wutusaambulwa ye kwaatesa!
Jaguaraci, juaguaraça! Xetrô, maromba xetrua!

A ACBANTU Agradece

A ACBANTU agradece aos participantes e parceiros pela realização da Feira Agroecológica de Povos e Comunidades Tradicionais “Sala ia Njila” Década Estadual dos Afrodescendentes

CONVITE – A Associação Nacional Cultural de Preservação do Patrimônio Bantu

CONVITE A Associação Nacional Cultural de Preservação do Patrimônio Bantu, em parceria com a Secretaria Estadual de Promoção da Igualdade Racial – SEPROMI, através do edital Bahia 2018 – Chamada Pública N°001/2018, tem a honra de convidar V.S.ª para a Feira “Sala la Njila” – Década Estadual de Afrodescendentes. Agricultura Agroecológica e Orgânica, Artesanato, Etnodesenvolvimento e Economia Solidária. Aqui temos: Hortaliças, Frutas, Aipim, Cacau, Abacaxi, Licores, Azeite de Dendê Artesanais, Gastronomia, Música, Histórias, muita Prosa e Canto. Povos e Comunidades Tradicionais compartilhando saberes e fazeres. 22 a 24 de novembro de 2018, Praça das Artes. Pelourinho, Salvador.

III Seminário Afrocearensidades

III Seminário Afrocearensidades
Data: 21/11/2018
Local: Auditório Central da UECE
Horário: 08:00 às 22:00

Organização – NUAFRO

Defesa do TCC do Taata Konmannanjy

TEMPO ZARA TEMPU!

Os direitos dos Povos de Terreiro a partir da atuação política da Associação Nacional Cultura de Preservação do Patrimônio Bantu.

Defesa do TCC do Taata Konmannanjy na: Especialização Lato Sansu em Estados e Direitos dos Povos e Comunidades Tradicionais.

09/11/2018 às 14h
Universidade Federal da Bahia (UFBA)
Faculdade de Direito na Graça